• Paulo Saraiva

TIPOS DE CICATRIZES

Atualizado: 30 de Jul de 2019









A cicatriz é aquela marca no corpo causada por algum trauma sofrido - seja por cirurgia, um machucado ou alguma queimadura. Existem algumas que podem até desenvolver o Quelóide, também chamada de cicatriz queloideana - um relevo causado pelo excesso de produção de colágeno durante o processo de cicatrização.


Causas prováveis para quem não tem boa cicatrização:

- Cortes de cirurgias

- Queimadura

- Tatuagens

- Traumas na pele

- Marcas de vacinas


A cicatrização é um processo natural de reparação da pele, que acontece sempre que uma parte do tecido epitelial ( a pele ) é rompida. Sendo assim, quanto maior for o dano, mais tempo para a pele cicatrizar. A pele forma um tecido diferente, com grande porção de colágeno fibroso e de menor elasticidade, formando a cicatriz. Esse ciclo pode levar anos, passando inicialmente por marcas avermelhadas e espessas até chegar à cicatriz esbranquiçada, às vezes da cor da pele, no final.


Tipos de cicatrizes

- Quelóide - São marcas que passam por um excesso na cicatrização da pele, produzindo uma grande quantidade de colágeno na região, formando uma lesão alta, escura, endurecida e dolorosa. Normalmente o quelóide acontece em pessoas que possuem tendência ao quadro, como, por exemplo, histórico familiar. Pacientes negros e orientais acabam tendo maiores chances de desenvolver esse tipo de cicatriz.


Quando a pessoa não tem tendência ao quelóide, é possível evitar a formação dele em alguns casos, depois da cirurgia, com fitas adesivas deixadas por um período longo, e massagens com cremes e pomadas apropriadas para isso. Os lugares mais propensos para desenvolver o quelóide são os ombros, orelhas ( furos de brinco e piercing ), costa e mamas, por serem áreas de maior espessura da pele


É comum no quelóide haver coceira e dor na região, entretanto a principal característica do quelóide é ele não se restringir apenas à área onde a pele foi lesionada. O quelóide tende a "invadir "as áreas saudáveis da pele e ao redor da cicatriz, e pode se estender ao longo dos anos. Às vezes uma espinha no tórax pode formar um quelóide do tamanho de uma moeda.


Quando o quelóide é muito resistente ao tratamento e tende a voltar, pode ser indicada a injeção de cortisona em cima da cicatriz, para auxiliar na diminuição dessa e da irritação, em intervalos de quatro semanas, em algumas sessões até se verem as melhoras da cicatriz. Massagear as cicatrizes pode ajudar a amaciá-las


Os quelóides são difíceis de se esconder, por serem altos, o que pode acabar causando incômodo estético. Por isso, é importante seguir as recomendações médicas para que o tratamento tenha um resultado satisfatório.A exposição ao sol pode causar escurecimento da cicatriz, por isso deve-se evitar ficar exposto por períodos maiores ao sol.


- Hipertróficas - São aquelas que ocorrem quando o organismo tem a produção de colágeno em quantidades anormais e desorganizadas, fazendo com que essa aparência tenha uma textura maior, comparando com a pele normal. ë rara e disponibiliza substâncias hereditárias, sendo que se parece com o quelóide.


A cicatriz hipertrófica surge na área lesionada cerca de duas semana depois. Nos primeiros meses pode até ser grande e avermelhada, mas tende a permanecer apenas na área da pele que está cortada.Ela tende a regredir com o tempo. Esse processo pode levar de 1 a 2 anos, nos quais a cicatriz vai ficando cada vez mais fina e semelhante à cor da pele.


- Normotróficas - Consistem em uma aparência semelhante a da pele, antes da lesão. Ocorre posteriormente a cicatrizes mais comuns e pequenas, que não causam grande agressão a pele.

- Hipertróficas - Essas são altas também, vermelhas e semelhantes ao quelóide.


Tanto o quelóide como a cicatriz hipertrófica são formas anormais de cicatrização da pele,pois levam ao aparecimento de cicatrizes grandes e que podem ser esteticamente incômodas. Podem durar de 3 a 4 meses para aparecer e são cicatrizes mais densas, com alto relevo, de cor mais avermelhada.


O tratamento para quelóides resistentes ou que voltam depois de retirados é a injeção de corticóide, feita em algumas sessões mensais, para amaciamento do mesmo. Massagens locais com cremes e géis apropriados também são indicadas.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo