• Paulo Saraiva

MAMOPLASTIA + ABDOMINOPLASTIA

Atualizado: 3 de Jul de 2019








PODE-SE FAZER AS DUAS JUNTAS?



Realizar apenas um ato cirúrgico para redefinir o contorno corporal pode ser vantajoso, mas certos parâmetros de segurança devem ser seguidos. A paciente pode optar por fazer as duas cirurgias associadas, que oferecem um resultado muito mais satisfatório.
Essa possibilidade acaba virando uma tentação, e realizar mais de uma plástica no mesmo dia evita que a paciente passe por dois pré e pós-operatórios.
As mamas e o abdome correspondem às áreas que mais se modificam após a gestação. As mamas tendem a ficar mais flácidas e às vezes caídas e o abdome mais globoso.
Parte dessas alterações provocadas pelas gestações pode ser corrigida com educação alimentar e exercícios físicos, mas outras não. Não há exercícios físicos que elevem e aumentem as mamas ou corrijam a separação dos músculos abdominais ( diastase ) ou mesmo sejam capazes de retirar estrias.
Pacientes que tiveram alterações provocadas pela gravidez que não podem ser corrigidas por exercícios físicos e alimentação adequada podem se beneficiar da Mamoplastia associada à Abdominoplastia. É possível e seguro realizar essas duas operações no mesmo tempo cirúrgico, desde que sejam respeitados todos os parâmetros de segurança para esse tipo de cirurgia, sendo os principais :
- Bom preparo pré-operatório, com liberação do cardiologista e anestesiologista.
- Evitar cirurgias mais longas que seis horas.
- Prevenção rigorosa de Trombose venosa
- Realizar as cirurgias em centros cirúrgicos seguros e bem equipados.
As vantagens de realizar essas duas cirurgias ao mesmo tempo são inúmeras, merecendo destaque as seguintes:
- Melhora de todo o contorno corporal, inclusive cintura, além das mamas e do abdome.
- Recuperação única, não havendo necessidade de realizar duas internações e permanecer afastada das atividades cotidianas duas vezes.
- Redução significativa dos custos, toda a despesa da cirurgia é bem menor do que a soma dessas mesmas cirurgias separadas.
Nos casos em que qualquer critério de segurança é descumprido, deve-se realizar as cirurgias separadamente, sendo isso mais frequente em pacientes que estão acima do peso ou as taxas do sangue não estão tão confortáveis para se realizar as duas cirurgias, tendo a paciente que optar em fazer uma, a que a incomoda mais.
Essa decisão é tomada em uma consulta médica, em que o cirurgião conversa com a paciente, examina-a, orienta e estabelece o plano cirúrgico.
5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo