• Paulo Saraiva

DRENAGEM LINFÁTICA

Atualizado: 25 de Abr de 2019





UMA SUAVE MASSAGEM PARA AUXILIAR A DESINCHAR A CIRURGIA



Ao fazer uma cirurgia plástica, o paciente.não vê a hora de pegar um espelho e olhar os resultados, não é mesmo?


Aliás, normalmente, o paciente quer sair do centro cirúrgico com alta total. Isso, sem ter que se preocupar com os cuidados necessários ou fazer a drenagem no pós-operatório.


Em uma cirurgia plástica, a fase de pós-operatório é fundamental para se conquistar os resultados tão desejados. E é aí que entra a importância da drenagem linfática.


Alguns procedimentos, como a abdominoplastia e a lipoaspiração, necessitam de técnicas complementares para melhorar ao máximo os resultados.


Por ter a capacidade de diminuir o processo inflamatório causado pelas cirurgias, a drenagem pós-cirúrgica também pode ser indicada após a mamoplastia, a colocação de próteses mamárias e até o lifting facial.


Entender para que serve a drenagem linfática é primordial para se dar a devida importância à fase de recuperação.


Tão importante quanto escolher o cirurgião plástico

é selecionar a profissional responsável por fazer a drenagem linfática no pós-operatório.


A drenagem pós-cirúrgica é um dos fatores para se ter uma recuperação melhor, mais rápida e ainda potencializar os resultados. Depois de um procedimento cirúrgico é comum que o corpo retenha uma quantidade de líquido maior do que o corpo consegue drenar.


O excesso de retenção de líquidos nos tecidos do corpo após a cirurgia é que causa o inchaço, conhecido como edema pós operatório cirúrgico.


O tratamento mais indicado é a drenagem linfática, que tem como principal objetivo evitar a retenção de líquidos no organismo, melhorar a circulação sanguinea e melhorar ocasionais dores no corpo.


Os especialistas defendem a técnica manual, no início, porque desta forma é possível respeitar a fisiologia do sistema linfático. Depois pode se usar o ultrassom.


Assim, é capaz de reduzir possíveis:

- Edema pós cirurgia

- Seroma ( líquido acumulado no local da cirurgia )

- Hematomas

- Formação de fibroses ( aderências )


A drenagem possibilita o equilíbrio do sistema linfático e a harmonia estética do corpo. Além disso, favorece a hidratação da pele. acelera o processo de cicatrização e até melhora a recuperação no pós operatório. Por todos esses motivos é muito utilizada em tratamentos estéticos, pré e pós operatórios, assim como nos casos de deficiência circulatória e retenção de líquidos.


Antes de se iniciarem as sessões é necessário se fazer uma avaliação fisioterápica para analisar as características decorrentes à cirurgia.


Nesse momento, a massagista também usa como referência os dados médicos do paciente, como o tipo de cirurgia que foi realizada e o tempo de pós operatório.


Alguns aspectos apresentam maior importância, como desenvolvimento da pele e do músculo, do inchaço, da dor e da sensibilidade.


Cada sessão de Drenagem Linfática Manual dura em média de 50 a 60 minutos. Durante esse período todo o tecido do corpo é massageado suavemente, com o objetivo de liberar as toxinas acumuladas, e, consequentemente, reduzir os inchaços e aliviar dores e tensões.


Em média, são realizadas 10 sessões, mas esse número pode ser maior, dependendo da necessidade do paciente. O cirurgião plástico irá avaliar e indicar a quantidade necessária, apesar de ter pessoas que se submetem à drenagem linfática de rotina, para relaxamento, retenção de líquidos em período menstrual, etc. Quanto maior o número de sessões melhor será o resultado da cirurgia e mais rápido o tempo de recuperação.


A drenagem não é algo que cause sofrimento ou dor, por isso as primeiras sessões são feitas com toque bem leves para não causar dor ou incômodo.


Não é feita apenas no local da cirurgia, e sim em todo o corpo, para estimular a circulação do sangue e evitar aderências


A ausência da drenagem pode deixar nodulações de gordura embaixo da pele.


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo