• Paulo Saraiva

DEVERES DO MÉDICO E DO PACIENTE

Atualizado: 26 de Abr de 2019





É DEVER DO BOM PACIENTE:


* RESPEITAR O MÉDICO COMO UM SER HUMANO

O MÉDICO É UM SER HUMANO COM QUALIDADES E DEFEITOS. ELE TRABALHA SOB STRESS E O SEU TRABALHO É MUITO DESGASTANTE, LIDANDO CONTINUAMENTE COM A "OBRIGAÇÃO" DE NÃO ERRAR. É UM CIDADÃO E TEM SUAS LIMITAÇÕES.


* CONSIDERAR O MÉDICO POR SUAS QUALIDADES PROFISSIONAIS.

EM TODAS AS ÁREAS EXISTEM BONS E MAUS PROFISSIONAIS. NÃO TOME UM MAU MÉDICO PARA JULGAR TODA UMA CLASSE. A EXCEÇÃO NÃO FAZ A REGRA.


* NÃO EXIGIR DO MÉDICO O IMPOSSÍVEL

A MEDICINA ESTÁ LONGE DE ESGOTAR OS SEUS LIMITES, E O MÉDICO SÓ PODE OFERECER O QUE A CIÊNCIA DESENVOLVEU.


* NÃO FAZER JULGAMENTOS PRECIPITADOS

O CONCEITO DE CADA PROFISSIONAL NASCE DE SUA ATUAÇÃO. NÃO HOSTILIZE UM MÉDICO QUE VOCÊ NÃO CONHEÇA, APENAS PORQUE VOCÊ "OUVIU "FALAREM MAL DELE.


* NÃO CULPAR O MÉDICO POR SEUS PROBLEMAS FÍSICOS OU PSICOLÓGICOS

AS DOENÇAS SURGEM DE DESEQUILÍBRIOS NA VIDA DO PACIENTE. O MÉDICO APENAS TENTA AJUDAR O PACIENTE A SUPERÁ-LAS.


* PROCURAR UM MÉDICO DE SUA CONFIANÇA

O SUCESSO DO TRATAMENTO ESTÁ BASEADO EM UMA RELAÇÃO DE CONFIANÇA ENTRE O MÉDICO E O PACIENTE. ESSE DEVE SEGUIR RIGOROSAMENTE AS RECOMENDAÇÕES MÉDICAS, PARA QUE, DEPOIS, ELE NÃO TENHA MOTIVOS PARA CULPAR O PROFISSIONAL POR UM RESULTADO QUE NÃO TENHA LHE AGRADADO COMPLETAMENTE


* CONSIDERAR A RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E ÉTICA DA CLASSE MÉDICA

POR CERTO, NA MAIORIA DAS VEZES QUE O PACIENTE PRECISOU DE UM MÉDICO, ELE E SUA FAMÍLIA TIVERAM SEUS PROBLEMAS BEM RESOLVIDOS. PARE E PENSE.


É DEVER DO BOM MÉDICO:


* HUMANIZAR O ATENDIMENTO

É PRECISO RESGATAR O BOM RELACIONAMENTO PESSOAL COM O PACIENTE. O ATENDIMENTO EXIGE TEMPO, CORTESIA E CARINHO.


* SABER OUVIR O PACIENTE

O PACIENTE TEM ANSIEDADES QUE INTERFEREM NA BUSCA DA CIRURGIA E NO CURSO DE SEU TRATAMENTO. O MÉDICO PRECISA OUVÍ-LO, SUA ATENÇÃO É FUNDAMENTAL PARA O PACIENTE.


* CONHECER O PERFIL PSICOLÓGICO DO PACIENTE.

ESSE CONHECIMENTO PODE MINIMIZAR O STRESS DO PACIENTE E CONTRIBUIR PARA UMA CIRURGIA MAIS PRECISA E UM RESULTADO MUITO MAIS EFICIENTE.


* EXPLICAR O DIAGNÓSTICO E O TRATAMENTO

É PRECISO ESTABELECER UM DIÁLOGO ONDE O PACIENTE ENTENDA CLARAMENTE O SEU TRATAMENTO, COM SUAS POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES E LIMITAÇÕES


* PROPOR OPÇÕES E DEIXAR O PACIENTE DECIDIR.

SE EXISTIR MAIS DE UMA POSSIBILIDADE DE TRATAMENTO, O MÉDICO DEVE APRESENTÁ-LA E DEIXAR A DECISÃO PARA O PACIENTE


* ATUALIZAR-SE PROFISSIONALMENTE

O PROGRESSO CIENTÍFICO NÃO PARA. A PERMANENTE ATUALIZAÇÃO ATRAVÉS DE CONGRESSOS, REUNIÕES CLÍNICAS E CURSOS É DETERMINANTE NA CONSOLIDAÇÃO DE UM BOM PROFISSIONAL.


* CONHECER COM PRECISÃO OS LIMITES DA MEDICINA

A MEDICINA TEM SEUS LIMITES. A CONSCIÊNCIA DESSES LIMITES DEVE ESTAR PRESENTE NO SEU DIA A DIA. O PACIENTE TAMBÉM DEVE CONHECÊ-LOS COM PRECISÃO


* SABER DIZER "NÃO SEI

QUANDO O MÉDICO VÊ ESGOTADA SUA CAPACIDADE DE AJUDAR O PACIENTE, DEVE INDICAR UM OUTRO PROFISSIONAL OU,"SE FOR O CASO, DEIXAR CLARA A INEXISTÊNCIA DA SOLUÇÃO DO CASO.


A MEDICINA NÃO É ONIPOTENTE E O RECONHECIMENTO DE UM LIMITE NÃO VAI DESABONAR O MÉDICO.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo