• Paulo Saraiva

COMPLEXO COM O CORPO








SENTIMENTO DESTRUTIVO

O tipo de sentimento que mais atrapalha o crescimento pessoal e profissional é o complexo. Não bastasse fazer verdadeiro terror na vida da pessoa que o transporta consigo, o complexo assume uma série de variações. Eles são típicos de pessoas que não se aceitam em relação aos seus corpos. A pessoa não aprende a se apreciar como é, a se respeitar com suas qualidades e naturais limitações.
O Brasil é o vice-campeão em cirurgias plásticas no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. É possível perceber que existe uma enorme busca pela aparência perfeita. A necessidade de se encaixar nos padrões de beleza, de eliminar algo que está fora do que é dito belo, tem alimentado esse mercado, a vontade de se sentir parte do grupo é tão intensa que tem levado as pessoas a procurarem exaustivamente pelas cirurgias plásticas.
Os complexados são pessoas muito negativas, que vivem da comparação com as demais pessoas. E a dor do complexo costuma incomodar muito, fazendo com que a pessoa se afaste de outras e se isole pouco a pouco. Percebe-se que a preocupação com o corpo vem crescendo a cada dia, cuidar-se é indispensável à saúde, bem estar e felicidade, não importando a idade. O corpo é uma forma de expressão, tanto de emoções quanto de sentimentos.
O mais lamentável é que a maioria dos complexos que conhecemos são infundados, geralmente criações da própria pessoa, que tem a autoimagem distorcida, destruída talvez pela falta de aprovação durante seu crescimento.
A pessoa não percebe que o encanto de cada ser humano está sempre em suas diferenças, naquilo que ele mostra de especial e não nas padronizadas que são pregadas pelas propagandas - corpo magro, pele jovem, sem rugas.
Os complexos, especialmente os ligados à aparência física, são extremamente prejudiciais nos relacionamentos afetivos, de modo que a pessoa não se abre para outras. E somente uma cirurgia plástica e um trabalho sério de resgate da autoestima e do amor próprio poderá reverter essa situação.
O complexo em relação ao corpo, muitas vezes é atuante é tão atuante na vida da pessoa, que se torna obsessão, uma doença, que hoje é conhecida como "Dismorfofobia", ou seja, medo de uma própria deformidade imaginária.
O complexo com o corpo pode surgir nas mais diversas formas e afeta muitas áreas da vida da pessoa. quando se tem consciência do peso ou do formato do próprio corpo, é normal querer se esconder debaixo de camadas de roupas e não gostar de sair de casa. Contrário à crença popular, não são apenas as garotas que sentem tal complexo; na realidade, as mais diversas idades apresentam problemas de confiança, mesmo não estando acima do peso. Quando se sente um complexo por conta do corpo, a sensação é que um holofote foi ligado sobre o complexado. Todo o corpo parece estar exposto e as falhas parecem ganhar destaque. Na realidade, é apenas uma sensação dentro da pessoa. As pessoas estão tão concentradas em suas próprias vidas que raramente notarão seus defeitos.
O profissional da estética tem a responsabilidade de proporcionar uma elevação da auto estima de cada paciente, mas é de extrema importância que estejam preparados para alertar os riscos dos excessos. Por fim, chega-se à conclusão que as pessoas que se mostram complexadas com seus pesos ou formatos de seus corpos confirmam que os padrões de beleza exercem significativamente uma pressão sobre elas.
8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo