• Paulo Saraiva

CIRURGIA PLÁSTICA DE ABDOME

Atualizado: 27 de Jun de 2019





ABDOMINOPLASTIA


Se a pessoa faz ginástica ou qualquer outra atividade física, dieta, ou já passou por gravidez e aquela barriga indesejável não desaparece, ela não deve exitar em recorrer à cirurgia plástica. O sonho de usar uma blusa curta, biquini, aquele vestido colado e elevar a auto estima são apenas alguns dos motivos que levam mulheres a procurar a cirurgia plástica na barriga, afinal esse pode ser um caminho para conquistar a barriga dos sonhos.
O ideal é que ela esteja no seu peso normal, não devendo emagrecer depois da cirurgia, pois a flacidez vai realçar ainda mais, prejudicando ou perdendo o resultado. Embora seja muito procurada como uma alternativa para corrigir mudanças no corpo depois de uma gravidez ou ganho ou perda excessiva de peso, a cirurgia plástica na barriga não é uma exclusividade das mulheres - isso significa que ela pode também ser realizada pelos homens. A abdominoplastia está entre os procedimentos mais procurados nos consultórios.
A cirurgia plástica de abdome tem a finalidade de remover o excesso de gordura e pele, restaurar os músculos ou separados, pregueando-os, para se obter uma barriga mais firme. Ela não deve ser feita se a finalidade é perder peso, já que serve apenas como um procedimento estético, não para emagrecimento.
Tanto mulheres quanto homens podem se submeter à cirurgia plástica na barriga. Geralmente, é indicada para quem perdeu uma quantidade significativa de peso e está com a pele flácida. Mulheres que tiveram filhos também realizam com frequência a cirurgia, já que o abdome fica bem diferente após a primeira ou segunda gestação. Pessoas com mais idade também procuram bastante essa cirurgia, já que, com o passar do tempo, a pele já não fica mais a mesma.
O pós-operatório de quem faz exercício físico é melhor do que a de quem não faz, porque o tônus muscular de quem se exercita é, naturalmente, mais firme.
A abdominoplastia pode ser realizada sob anestesia peridural ou geral, com internação hospitalar de 24 horas, após passar por um checkup completo antes, como exames de sangue, urina, ultrassonografia do abdome, avaliações cardiológicas e anestésicas, para dar completa segurança ao paciente, no ato cirúrgico.
A cicatriz é feita na mesma altura da de uma cesariana, e um pouco mais alongada que essa, de um osso ao outro do quadril. Caso a flacidez e a concentração de gordura sejam muito pequenas, e se restrinjam à região abaixo do umbigo, faz-se o chamado mini-abdome, com um corte de aproximadamente um palmo, onde se retira apenas uma faixa de pele e gordura, sem precisar mexer no umbigo. Costuma ser menos invasiva, mas fornece um resultado mais sutil, se comparado à abdominoplastia tr adicional. A recomendação desse procedimento é feita apenas para as pessoas que tem a conhecida "pochete", ou seja, aquela gordura acumulada embaixo do umbigo. As cicatrizes geralmente ficam escondidas sob o biquini. Quando necessário, usa-se a lipoaspiração para dar um contorno melhor na cintura.
Por pelo menos 30 dias antes da cirurgia não se deve usar qualquer medicamento à base de ácido acetil salicílico ( aspirina ), pois faz com que aumente o sangramento durante a operação.
Se o paciente é fumante, ele deve suspender o fumo por, no mínimo 30 dias antes antes de ser operado, até 30 dias após, porque o cigarro interfere na vascularização da pele, consequentemente na cicatrização, podendo dar até necrose.
A cicatriz é feita na mesma altura da de uma cesariana, e um pouco mais alongada que essa, de um osso ao outro do quadril. Caso a flacidez e a concentração de gordura sejam muito pequenas, e se restrinjam à região abaixo do umbigo, faz-se o chamado mini-abdome, com um corte de aproximadamente um palmo, onde se retira apenas uma faixa de pele e gordura, sem precisar mexer no umbigo. Costuma ser menos invasiva, mas fornece um resultado mais sutil, se comparado à abdominoplastia tradicional. A recomendação desse procedimento é feita apenas para as pessoas que tem a conhecida "pochete", ou seja, aquela gordura acumulada embaixo do umbigo. As cicatrizes geralmente ficam escondidas sob o biquini. Quando necessário, usa-se a lipoaspiração para dar um contorno melhor na cintura.
Para evitar dores e complicações no pós-operatório, é importante o cuidado de não se mexer muito. Na primeira semana após a cirurgia, a posição de andar é encurvada e a de deitar é recostada, pois a pele foi muito esticada e qualquer movimento diferente pode abrir pontos. A partir daí já se anda e se deita ereto, apesar de continuar a deitar de barriga pra cima até se completarem três meses. Após isso, as posições de deitar são liberadas.
O ideal para diminuir o inchaço mais rapidamente é fazer a drenagem linfática ( massagem suave ) para diminuir a retenção de liquidos, reduzindo o edema ) e ultrassom.
Não é aconselhável dirigir automóveis, motos e bicicletas antes de 30 dias após a cirurgia.. Com 30 dias já se pode fazer caminhadas, atividades físicas leves, sem grandes movimentos
Se a paciente deseja engravidar, é recomendável fazê-lo depois de um ano da cirurgia, para que a cicatriz não seja prejudicada, apesar de que o ideal é a mulher deixar para fazer essa cirurgia após ter tido as gravidezes desejadas.
O paciente que se submete à cirurgia de abdome tem que ter paciência para obter o resultado definitivo, pois esse só vai acontecer num período mínimo de até uma ano. Depois do primeiro ou segundo mês, quando o incha;co começa a ceder e os hematomas desaparecem, já dá para ter uma idéia de como vai ficar o abdome. Nos três primeiros meses após a cirurgia , é usada a fita adesiva Micropore, trocada semanalmente, para não deixar a cicatriz se alargar. Ela ficará avermelhada e saliente, mas depois disso a vermelhidão começará a desaparecer em aproximadamente 12 a 18 meses, e as cicatrizes completamente curadas.
O paciente deverá usar a cinta modeladora por pelo menos dois meses, para garantir um resultado satisfatório. A cinta vai garantir que o inchaço diminua e evitar o acúmulo de líquidos. Serve também para moldar a silhueta do paciente. Evitar dirigir por pelo menos um mês, obedecer à prescrição médica, não engordar após a cirurgia,fazer as sessões de drenagem linfática e realizar o acompanhamento corretamente.
Geralmente existe a presença de um leve desconforto no pós operatório, não chegando a ser dor constante. Qualquer incômodo pode ser controlado e aliviado com medicação,
Em relação a quem tem estria no abdome, se elas estão abaixo do umbigo, essa pele sairá toda ajudando a reduzir a aparência e até o tamanho. Quanto a engravidar após a cirurgia,não h'grandes riscos associados a engravidar após a cirurgia de abdome, mas é mais comum e recomendado que a cirurgia seja rnalizada após o nascimento dos filhos, pois isso pode ajudar a garantir qu e os resultados alcançados não sejam comprometidos pelas mudanças corporais que ocorrem com frequência durante a gravidez.
Após o procedimento a região já estará mais plana, mas a barriga ficará inchada, que ficará visível por algumas semanas, e os resultados permanentes começam a ser percebidos um ano após o procedimento, quando as cicatrizes e os tecidos debaixo da pele estão completamente curados.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo