• Paulo Saraiva

BULIMAREXIA - QUANDO A DIETA VIRA DOENÇA









O culto ao corpo, a mania de emagrecer a qualquer custo e a ansiedade podem detonar uma doença que cada vez tem feito vítimas entre as mulheres: Bulimarexia, um misto de Bulimia com Anorexia, que são duas doenças caracterizadas pelo descontrole do mecanismo da fome. As causas podem ser muitas, mas sempre de fundo psicológico ( frustrações, insatisfações, etc. )
Na bulimia, a pessoa, ansiosa, belisca o dia inteiro sem parar. Quase não se senta à mesa para uma refeição completa. Depois, sentindo-se gorda, entra numa dieta rígida, de fome. Aí se empanturra, digamos uma noite inteira. Então volta a ficar quase em jejum. Numa dessas "dietas negras ", ela entra num quadro anorético: significa a perda total de todos os sinais da fome: apetite, dores estomacais, etc. Isso pode levar até à morte, por desnutrição. Enfim, Bulimia e Anorexia tem as mesmas causas detonadoras.
Acontece muito com adolescentes, que se neurotizam com a moda dos regimes. O culto ao corpo perfeito foi um dos grandes culpados pela propagação da doença.
Pessoas que tem por obrigação viver em contato com o público são grandes candidatas à Bulimarexia, e geralmente o problema começa na adolescência. Elas não acreditam em si mesmas, e que vão fracassar perante qualquer obstáculo. Os bulímicos precisam se manter sob rígido controle: esse é o motivo dos regimes restritos. Eles geralmente tem uma personalidade passiva, é incapaz de dizer exatamente o que pensa em qualquer situação.
Nem todas as pessoas descarregam a ansiedade de uma maneira destrutiva. O anorético, por exemplo, está cometendo suicídio a longo prazo, pois muitas vezes a doença não regride mais, levando-o à desnutrição. Já o bulímico, tem variações de humor, que podem ir de um estado eufórico a um extremamente depressivo.
A Bulimarexia geralmente é notada pela própria pessoa, até antes pelos parentes e amigos. Os métodos de tratamento variam de médico para médico, mas todos concordam em um ponto: é preciso quebrar o círculo vicioso ansiedade-comida-ansiedade, conscientizando a pessoa do problema, trabalhando sua autoconfiança.
Alguns pacientes entram nos consultórios dos cirurgiões se queixando apenas de gordura localizada ou perda da vontade de comer. Através da conversa, o profissional vai dando uma de psicólogo, descobrindo que o problema é bem outro. Entre os problemas psicológicos detonadores estão: falta de segurança, stress, problemas sexuais e conjugais. Existem também os problemas sócio-culturais: o ideal de emagrecer a qualquer custo, a cobrança da sociedade sobre o corpo da mulher, etc. Finalmente, as causas fisiológicas, como as variações hormonais da adolescência, prejudicando a auto imagem.
É preciso quebrar a rigidez do paciente, mostrando-lhe como distinguir : apetite" ( vontade de comer ) de fome ( necessidade de comer).

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo